Blog

HISTÓRIA DA RAÇA

História da raça

A raça Bulldog Inglês foi desenvolvida na Inglaterra e descende de cachorros do tipo mastiff. A primeira menção que se tem da raça é de 1500 e desde essa época a raça era utilizada na prática do bull-baiting, luta que envolvia cães e touros.

Em 1835, felizmente o bull-baiting foi declarado ilegal na Inglaterra. Com isso, pensou-se que a raça iria desaparecer, pois a maioria dos buldogues eram feitos e tinham um comportamento próprio para aquelas lutas sangrentas com touros. Porém, a raça foi redesenvolvida para possuir traços menos agressivos.

Em 1864, então, foi criado o primeiro clube dedicado à raça. Em 1886 foi reconhecido pela primeira vez pela AKC (American Kennel Club) e atualmente é a 4ª raça mais popular nos Estados Unidos.

Aqui no Brasil, nos últimos anos, o Bulldog caiu no gosto popular.

Apesar da sua aparência imponente e um pouco assustadora, o Bulldog é um cachorro bonachão, calmo, de bem com a vida e que só quer relaxar. Excelente companheiro para famílias: ele se torna incondicionalmente apaixonado pelos donos.Ele é muito amável, afetuoso e adora socializar. Amigável sempre, o Bulldog se dá bem com outros cachorros e animais e pode ser uma ótima companhia para crianças, até mesmo para as mais novas.

Demora um pouco para aprender as coisas, mas uma vez que ele as entenda, ele aprende para valer. Às vezes pode ser bastante teimoso e preguiçoso, portanto é necessário ter bastante paciência com ele.

Não é atlético e por serem mais preguiçosos e pouco ativos, os Bulldogs não exigem muita atividade física no dia a dia. Uma caminhada curta com duração de 15 minutos por dia já deve satisfazê-lo;

Uma cena muito rara é ver um buldogue inglês latindo. Apesar de ser bastante atento à movimentação ao redor, ele dificilmente sai latindo, o que é uma boa característica para quem tem vizinhos próximos.  

Bulldogs devem viver preferencialmente dentro de casa. A raça não exige muito espaço, podem viver muito bem em apartamentos: uma quitinete é mais do que suficiente para ele, já que são pouco ativos e preferem uma vida mais descontraída e relaxada. Apesar de se adaptar com facilidade à vida em apartamento, eles não gostam das longas ausências dos donos. 

Exigentes de companhia, tem dificuldades na reprodução e não se pode dizer que seja um cão obediente, mas esbanja na aparência e no charme.  

Entre em contato

Mensagem enviada com sucesso!

A mensagem não pôde ser enviada, tente novamente.